blog d'apontamentos

12.11.05

Poemas e Poetas (18)

E TUDO ERA POSSÍVEL


Na minha juventude antes de ter saído
da casa de meus pais disposto a viajar
eu conhecia já o rebentar do mar
das páginas dos livros que já tinha lido

Chegava o mês de maio era tudo florido
o rolo das manhãs punha-se a circular
e era só ouvir o sonhador falar
da vida como se ela houvesse acontecido

E tudo se passava numa outra vida
e havia para as coisas sempre uma saída
Quando foi isso? Eu próprio não o sei dizer

Só sei que tinha o poder duma criança
entre as coisas e mim havia vizinhança
e tudo era possível era só querer

Ruy Belo, Homem de Palavra[s]
Lisboa, Editorial Presença, 1999 (5ª ed.)

---> ---> --->
11:37 da manhã

3 Comentários:

Foi coincidência. O ter colocado também este poema de Ruy Belo na voz da cigarra. Mas dado que o poema - como toda a escrita de Ruy Belo - espanta e marca, é natural que nos recordemos dele. Oxalá fossemos muitos. Muitos mais.
Talvez não seja uma coincidência. Talvez sejamos mais. Cada vez mais. :)
Tudo é possível... eu também o recordei. E gostei de o ver aqui.
Somos muitos. Cada vez mais.

Adicione um comentário